Os avós são um recurso muito valioso na criação dos netos, especialmente quando são jovens. Se você teve um bom relacionamento com seus avós, certamente tem memórias ricas desses momentos, quem não teve, entende a falta que faz essas lembranças.

São para todos os efeitos dos segundos pais, capazes de proporcionar aos netos um relacionamento baseado talvez em mais algumas concessões, mas certamente capazes de colocar à sua disposição a riqueza de experiências que sabem transmitir.

Eles sabem como brincar com eles e têm esse recurso fundamental que os torna praticamente insubstituíveis: o tempo.

A relação entre avós e netos faz-se bastante necessária, porque os avós estão lá para dar tempo aos netos, ajuda, carinho e experiência. Por isso, eles não podem fazer diferenças entre netos.

É humano ter preferências, mas um avô sábio sabe como impedir que isso aconteça. Especialmente quando os netos são pequenos, as atenções e a vontade dos avós em relação a eles devem ser proporcionais.

Um trauma psicológico em uma criança pequena é algo que afeta profundamente seu desenvolvimento. Em sua emocionalidade e na formação de sua personalidade.

Se isso acontece, infelizmente, muitas vezes no ambiente doméstico, com os pais, devido à falta de tempo e ao estilo de vida agitado, é bom não acontecer com os avôs.

De contador de histórias e companheiro de brincadeira, ele se torna uma espécie de confidente e ponto de referência. E se um neto percebe que há diferenças na maneira como ele age, ele acusa essa disparidade de maneira traumática.

O que vocês acham? O texto foi publicado no site ALICANTHE, e traduzido por nós.

RECOMENDAMOS



Flores e Poesias
Textos que perfumam a alma e a vida.

COMENTÁRIOS