Quatro mil mulheres iranianas se reuniram no estádio Azadi, carregando bandeiras nacionais de cor verde, branca e vermelha e fazendo selfies, assistiram, nesta quinta-feira (10/10/2019), em Teerã, a goleada da seleção iraniana masculina de futebol por 14 x 0 sobre Camboja.

A liberação do governo só após a Fifa ameaçar de suspensão o país pelas controversas restrições nos estádios.

Um decreto proibiu a presença feminina no estádios de futebol desde 1979, e agora elas puderam ver o jogo, se divertir, e sorrir muito!

O grupo de torcedoras foi colocado em uma área separada do restante e protegido por mulheres policiais.

É uma sensação extraordinária ter a oportunidade de estar em um estádio”, disse Zahra Pashaei, uma enfermeira de 29 anos.

Durante quase quarenta anos, a República Islâmica proibiu a entrada de mulheres nas arenas de futebol e de outros esportes. O argumento utilizado para justificar a medida restritiva era de que as mulheres deviam ser protegidas da atmosfera masculina e da vista de homens parcialmente vestidos: os jogadores, no caso.

O jornal Sazandegui comemorou a decisão com a publicação de uma fotografia das torcedoras junto com o título da matéria: “As mulheres da liberdade”. Para alguns homens, o encontro merecia ser celebrado.

É um grande sentimento que estejamos aqui juntos, finalmente. Somente desejamos que isto continue no futuro”, disse um torcedor, que não quis se identificar.

Uma delegação da Fifa assistiu à partida para assegurar que o Irã cumpriria sua promessa de permitir a entrada das mulheres.

Mais informações no site Metrópoles.

RECOMENDAMOS


Flores e Poesias
Textos que perfumam a alma e a vida.

COMENTÁRIOS