O amor entre um cachorro e o ser humano não tem limites, nem barreiras. Você apenas sabe que aquele amor existe, e é tudo. O fiel Labrador do Sr. Daniel Hove morreu a uma hora depois da morte do seu tutor, que combatia contra um câncer no pâncreas. O fato aconteceu há cerca de 3 meses.

O diagnóstico da doença se deu em 2011 e, a partir desse momento, Gunner nunca deixou seu amado amigo: ele sempre esteve perto do homem mesmo durante as sessões de quimioterapia e durante as inúmeras consultas médicas. Ao Labrador de 11 anos havia sido colocada ao lado do leito de Daniel, um outro leito para o cão, para que ele pudesse ficar com o tutor até de noite, monitorando sua saúde.

Os dois compartilharam uma bela amizade e fidelidade. Existem inúmeras fotos de família que os retratam juntos, testemunhando o extraordinário vínculo entre eles. Muitas dessas fotos mostram Gunner deitado na cama ao lado de Daniel nos últimos dias da doença.

“Eles foram melhores amigos até o fim. Eles foram a todos os lugares juntos”, contou a filha de Daniel, Heather Nicoletti, de acordo com o site Green Me.

A amizade deles era tão forte que nenhuma família ficou surpresa quando Gunner começou a sofrer assim que as condições de Daniel pioraram. “Quando meu pai tremia, o cachorro tremia também. Se meu pai estava inquieto, o cachorro estava inquieto ” explica Heather. E isso é bastante comum entre cães, sentir o que seu dono sente.

Heather admitiu que se sentiu aliviada por seu pai não ter tido que se despedir de Gunner, tendo visto seu fiel amigo momentos antes de ele morrer. “Sabíamos que eles iriam embora juntos. Gunner não poderia viver sem meu pai e escolheu se juntar a ele”, disse Heather.

É um amor que não tem limites.

RECOMENDAMOS



Flores e Poesias
Textos que perfumam a alma e a vida.

COMENTÁRIOS