Mexer com um assunto tão delicado, merece uma atenção maior, e trabalhar a literatura de cordel se torna um método mais eficaz.

Tradicional e bastante popular nas regiões Nordeste e Norte do Brasil, a literatura de cordel é escrita em rimas, geralmente cantadas, costume que os escritores tinham para atrair o público. Alguns poemas são ilustrados com xilogravuras.

Com o apoio do Instituto Maria da Penha e a Secretaria de Educação do Ceará (Seduc), o cearense Tião Sampaio criou o cordel “A Lei Maria da Penha em Cordel”, que em 2018 já alcançou 38 escolas da rede pública de ensino cearense.

Com o auxílio do Estado e da iniciativa privada para a distribuição nas escolas. A promessa é que em 2019 se expanda para outros estados do Nordeste. Além da entrega dos cordéis, o Seduc realiza palestras sobre o tema nas escolas.

lei maria da penha - Escolas usarão literatura de cordel para ensinar sobre a LEI MARIA DA PENHA

A literatura de cordel se tornou patrimônio cultural do Brasil em setembro de 2018.

Alguns dos muitos cordelistas famosos no Brasil foram Apolônio Alves dos Santos, Firmino Teixeira do Amaral, João Ferreira de Lima, João Martins de Athayde, Leandro Gomes de Barros e Manoel Monteiro.

Mais informações em RAZÕES PARA ACREDITAR.

RECOMENDAMOS


Flores e Poesias
Textos que perfumam a alma e a vida.

COMENTÁRIOS