O medo da mudança é difícil de lidar, mas você se sente tão confortável na zona de conforto que tende a permanecer nela sempre? Confira esse texto incrível da Vera Dias, uma psicanalista.

“O medo de mudança que a maioria das pessoas sente esta relacionada ao tal do “sair da zona de conforto”.

Zona de conforto é uma série de ações, pensamentos e comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não a causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. É uma região onde nenhum indivíduo se sente ameaçado.

As pessoas resistem sair deste local , não por que a zona de conforto seja um lugar realmente confortável, por exemplo, uma pessoa não querer, numa sala cheia, levantar-se com medo de perder o lugar, mas estar sentada há horas na mesma posição e em um assento sem anatomia que se adeque a seu corpo, pode ser muito mais desconfortável do que ficar de pé, certo? Mesmo assim a pessoa prefere ficar sentada com medo de que lhe roubem o assento. Podemos nesta situação perguntar: Roubar exatamente o que? O desconforto? A dor? A insatisfação? Do que temos medo quando percebemos que existem apenas dois caminhos, nos afundar no comodismo e conviver com a insatisfação ou arriscar e fazer uma mudança?

Outro exemplo prático: você esta numa relação onde não há mais troca entre você e seu par, ambos não contribuem mais para evolução um do outro. Mas, mesmo assim, prefere ficar na relação com medos, vários medos:

1. Medo da solidão. Muitas vezes a sensação solidão a dois esta lá, o companheiro não esta presente no seu dia, não conseguem ter dialogo, as brigas surgem do nada. O medo da solidão é uma fantasia ja que a solidão já é pratica e presente.

2. Medo de recomeçar. Sim, recomeçar é difícil, requer coragem para tomar iniciativa, mas, o que é melhor? Recomeçar e caminhar para novos horizontes ou ficar estagnada?

3. Medo dos julgamentos. Tem medo do que os outros vão falar, tem medo de sentir se culpada pelo fracasso do relacionamento. Talvez a melhor forma de desfazer este medo seja entender que tudo na vida acaba, nada é eterno, o relacionamento cumpriu seu ciclo, ofereceu a evolução que poderia e cessou. Reciclar é necessário as vezes. E os outros?

Fortaleça-se para entender que sua vida só merece suas considerações.

As mudanças requerem um gasto psíquico muito grande, seria necessário habituar-se a uma nova realidade com tudo que ela tem para nos apresentar, e a adaptação é exaustivo.

O medo da mudança é limitante e impede a evolução das pessoas que nutrem tal sentimento incapacitante. Muitas mulheres permanecem em relacionamentos abusivos justamente por acreditar que não conseguirão nada melhor, que “ruim com ele, pior sem ele”, que se “ele não me ama, ninguém vai me amar”. Todas as crenças limitantes e que servem de obstáculo para romper com ruim com medo do pior, sem na verdade ter experimentado o novo para poder avaliar.

A culpa desta acomodação e dos medos irracionais diante da mudança pode estar contida em padrões limitantes criados em momentos de sofrimento, traumas, decepções etc. e que sem uma devida elaboração alojaram-se no inconsciente da pessoa e dali, domina as ações presentes dela sem que ela se dê conta.

A terapia psicanalítica trabalha para trazer a consciência o que esta inconsciente e dominando as decisões presente da pessoa criando obstáculos para evolução.”

RECOMENDAMOS



Flores e Poesias
Textos que perfumam a alma e a vida.

COMENTÁRIOS